Dani Calabresa fala pela primeira vez das acusações de assédio contra Marcius Melhem: "Tão assustador"

A atriz Dani Calabresa falou pela primeira vez sobre as denúncias de assédio sexual que fez contra o ex-diretor do núcleo de humor da Globo Marcius Melhem. O caso voltou à tona após a revista Piauí expor os detalhes do que teria acontecido em dezembro do ano passado. Durante sua participação no “Saia Justa”, programa da GNT, a humorista ressaltou a importância que o trabalho teve durante esse período. “Os dois momentos mais difíceis da minha vida, um foi depois do meu divórcio e o outro é esse episódio horrível de assédio, eu acho que o que me ajudou a colar os pedaços foi o trabalho. De verdade, o trabalho me salvou. Sabe a sensação de eu tenho o porquê acordar, eu tenho que tomar banho, eu tenho que ficar bem, eu tenho que estudar, eu tenho que lembrar quem eu sou, tenho que fazer o que eu gosto porque me faz bem? O trabalho me salvou, os amigos, família e terapia também, mas o trabalho foi o que mais me segurou”, afirmou a artista.

Durante o relato, Dani também comentou que, hoje, ao analisar tudo o que viveu percebe que não reagiu antes aos assédios justamente por causa do trabalho. “Eu tinha tanto medo de sofrer, de ser prejudicada no trabalho, de sofrer algum boicote, que eu não consegui reagir antes. O assédio é um assunto assim tão assustador que a gente tenta negar para a gente mesma, a gente tenta fingir que aquilo que está acontecendo é normal. É tão assustador que você segue como consegue, fingindo normalidade, tentando ser legal para mostrar que está tudo bem, segue demonstrando uma gratidão excessiva para não sofrer boicote só que isso chega uma hora que começa a fazer tão mal que você tem que arrebentar a tampa desse caldeirão”, declarou a atriz. Melhem já negou as acusações feitas por Dani e sua defesa apresentou na Justiça trocas de mensagens e outras possíveis provas de que os dois tinham um bom relacionamento. A artista falou que independente das circunstâncias “ninguém tem o direito de forçar contato físico com ninguém, é preciso permissão”.